Crianças e inverno: o que fazer para as proteger?

Não há volta a dar. O frio e a chuva teimam em ocupar os nosso dias mas a creche, a escola e o trabalho não param. É preciso enfrentar o clima e tudo o que os pais querem é ver os filhos com saúde, prontos para brincar e aproveitar tudo de maravilhoso que a vida dá.

Agasalhos: o melhor é não exagerar

Gorros, casacos, gabardines, luvas cachecóis. Tudo isto é muito bom para proteger as crianças mas a mudança brusca de temperaturas pode fragilizar o organismo e favorecer as gripes e constipações.

Diz a sabedoria popular:

Ao entrar em casa ou na escola, aguarde uns minutos até desagasalhar as crianças. Tire primeiro luvas e cachecóis, depois o casaco e por último o gorro. Mais vale arrefecer um pouco a cabeça, talvez a zona mais suscetível às mudanças de temperatura.

Diz a médica:

Não recomendo o uso de gorros. Prefiro que se proteja a cabeça das crianças com um chapéu mais leve, de algodão, para reduzir as diferenças de temperatura.

O frio faz mal?

Na língua inglesa, a palavra constipação traduz-se por cold – frio. Isto faz-nos compreender o papel do arrefecimento do corpo na saúde.

O que diz a sabedoria popular:

Para anular os efeitos do frio e da chuva — quem sabe de algumas horas com os sapatos e meias húmidos — do que um banho quente.

O que diz a medicina:

Um banho quente é sempre reconfortante mas o seu efeito na prevenção de constipações não é um facto médico. Tudo depende da idade da criança, do seu estado de saúde e de quanto tempo ela esteve exposta ao frio e à chuva.

Lar doce lar

Por vezes, quando as crianças estão doentes, os pais não podem faltar ao trabalho e não têm com quem as deixar.

O que diz a sabedoria popular:

Quando estão doentes as crianças devem ficar em casa e ali permanecer até que os sintomas desapareçam e se sintam bem. Para consolidar a recuperação até é conveniente que fiquem resguardadas pelo menos mais um dia.

O que diz a medicina:

Mais uma vez tudo depende da doença em causa e da criança. Neste caso, uma criança pequena pode beneficiar com um dia “a mais” em casa enquanto outra, mais velha, não terá qualquer consequência ao ir para a escola mal os sintomas desapareçam.

Cuidados com o sol

Quem não gosta de apanhar o sol de inverno? Mas é preciso ter atenção, pois este é, muitas vezes, mais quente do que o sentimos e expor-se a ele com a cabeça descoberta pode ser causa de inflamações na garganta.

O que diz a sabedoria popular:

Não se deve deixar as crianças ao sol sem chapéu.

O que diz a medicina:

Não está provado que o sol na cabeça provoque dores de garganta, logo não temos aqui um facto médico, embora proteger a cabeça do frio ou do calor seja aconselhável sobretudo em crianças pequenas.

Mãos sempre lavadas

Para evitar a propagação de bactérias e germes é muito importante lavar as mãos com frequência, sobretudo antes das refeições.

O que diz a sabedoria popular:

A higiene é amiga da saúde.

O que diz a medicina:

A higienização das mãos pode interromper a transmissão de infecções virais, bacterianas e parasitárias de uma pessoa para a outra. Estejam ou não constipadas, as crianças devem habituar-se a lavar as mãos com frequência: quando vão à casa de banho, antes das refeições, quando chegam a casa e sempre que as mãos estiverem sujas.

Existem outros hábitos que podem ajudar a manter as crianças saudáveis e a não deixar que o estado de saúde se agrave quando surgem os primeiros sinais de constipação, como:

  • Lavar o nariz com soro fisiológico logo que haja muco nasal
    Esta lavagem ajuda a desentupir as narinas e evita que o muco, onde podem alojar-se germes e bactérias, desça para a garganta e para os pulmões, provocando inflamações.
  • Ligar ao pediatra sempre que a criança esteja constipada ou com tosse
    Face aos primeiros sintomas, alguns pais preferem não ligar ao pediatra mas, regra geral, um simples telefonema pode evitar complicações e idas desnecessárias às urgências.
  • Certificar-se de que o ar do quarto da criança não está demasiado seco
    Para manter o ar húmido coloque, perto do aquecedor, uma tigela com água. É o bastante para ajudar a criança a respirar melhor.

É importante saber que as medidas de prevenção e cuidado têm de ser adaptadas à idade da criança, bem como à sua condição física. Um bebé necessita de ser mais protegido do frio e da chuva, tal como uma criança que sofra de alergias, já que estas condicionam o estado geral de saúde. E nunca é demais lembrar que o melhor conselheiro é sempre o pediatra. Consulte-o periodicamente.

Precisa de ajuda? Nós
ligamos
grátis!