A alergia consiste numa resposta exagerada do sistema imunológico a uma substância estranha ao organismo, ou seja uma hipersensibilidade imunológica a um determinado estímulo externo específico.

Na alergia, o organismo reage excessivamente a fatores ambientais que, de outra forma, seriam inócuos (pelo de animais, pólen, pó, ácaros, plantas, bolores etc.).

Na alergia, acontece que a imunoglobina, (a proteína que dá início a um complexo sistema de defesa contra infeções e ataques de vírus e bactérias), ao deparar-se com o agente agressor para o qual foi especificamente criada, fixa-se nele, promovendo a libertação de histamina (substância responsável pelos sintomas da alergia). As reações alérgicas são reações específicas – o organismo sensibilizado reage exclusivamente ao antigénio que provoca a resposta imunológica.

As reações de hipersensibilidade (alérgicas) foram separadas em dois tipos diferentes:

1. Reações de hipersensibilidade imediata – decorrem poucos minutos após o organismo ter sido exposto ao alérgeno. Incluem:

  • Anafilaxia – trata-se de uma reação alérgica sistémica, severa e rápida a uma determinada substância, caracterizada pela diminuição da pressão arterial, taquicardia e distúrbios gerais na circulação sanguínea, podendo ser acompanhada de uma situação grave, o  edema da glote que dificulta a respiração. A reação anafilática pode ser provocada por quantidades minúsculas da substância alergénica. O tipo mais grave de anafilaxia — o choque anafilático — termina geralmente em morte caso não seja tratado.
  • Reações Citotóxicas
  • Reações devidas a determinados tipos de complexos antígeno-anticorpo, que resultam em alterações nos tecidos.

2.  Reações de hipersensibilidade tardia – desenvolvem-se várias horas após o contacto.

Causas da Alergia

Exposição ao alérgeno que provoca uma reação excessiva do organismo.

 

Sintomas da Alergia

De uma forma geral, os sinais e sintomas de alergia, podem ser:

alergia

– Dermatite de contacto causada por uma alergia.

– Pele (eczema, prurido, eritema, urticária aguda ou angioedema).

– Trato gastrointestinal – edema dos lábios/língua, náuseas, cólicas abdominais, diarreia, vómitos.

– Trato respiratório – prurido nasal, espirros, nariz entupido, tosse, compressão torácica, sibilos e falta de ar.

– Sinais ou sintomas de anafilaxia ou outras reações alérgicas sistémicas., hipotensão, taquicardia, irritabilidade, edemas generalizados.

 

Principais tipos de Alergia

Alergia alimentar: reação alérgica após a ingestão de alimentos (sobretudo ovos, leite, amendoins, soja, frutos secos, trigo).

Os principais sintomas e sinais são:

  • Edema nos olhos.
  • Sensação de comichão na língua ou na garganta.
  • Rugosidade na pele.

A primeira reação alérgica ao leite, ovo, soja e trigo, ocorre, geralmente, na infância. A alergia ao marisco, amendoim e castanhas, pode começar na adolescência e na idade adulta.

Asma: doença inflamatória, crónica, das vias aéreas, provocada pela bronconstrição e consequente diminuição de entrada de ar nos pulmões. A bronconstrição ocorre por uma hiper-reação do organismo à presença de fatores agressores.

Os principais sintomas e sinais são:

  • Falta de ar.
  • Prurido no peito (que pode surgir como primeiro sintoma, sobretudo nas crianças).
  • Respiração sibilante, percetível quando a pessoa respira.
  • Tosse e dispneia.
  • Opressão torácica.
  • Tosse seca à noite ou durante o exercício.

Rinite: inflamação aguda ou crónica da membrana da mucosa do nariz, decorrente de vírus, bactérias, fatores irritantes ou alérgenos.

Os principais sintomas e sinais são:

  • Irritação no nariz, na boca, nos olhos, na garganta, na pele ou em qualquer outra região do corpo.
  • Hipersensibilidade aos odores.
  • Espirros.
  • Olhos lacrimejantes.
  • Espirros em salva (vários espirros seguidos).
  • Nariz obstruído, com respiração pela boca.
  • Coriza (secreção nasal aquosa e fluida).
  • Prurido nasal.
  • Lacrimejar dos olhos.

Dermatite atópica: São lesões descamativas que aparecem principalmente em locais de dobras cutâneas do corpo (anterior do cotovelo, posterior do joelho e pescoço) e couro cabeludo. A dermatite atópica pode dever-se a reações alimentares, picadas de insectos, medicamentos, urticárias, angiodema (edema em alguma parte do corpo), anafilaxia.

Os principais sintomas e sinais são:

  • Bolhas que formam crosta.
  • Secreção ou hemorragia da orelha.
  • Áreas ulceradas da pele causadas por prurido.
  • Alterações na cor da pele.
  • A pele fica mais clara ou escura que o seu tom normal.
  • Vermelhidão ou inflamação da pele em redor das bolhas.
  • Áreas espessas ou parecidas com couro, chamadas de liquenificação, que ocorrem após irritação da pele.

Dermatite de contacto: Ocorre quando a pele entra em contacto com uma substância que desencadeia irritação por ação direta. Os agentes mais comuns incluem os solventes químicos, cosméticos, desodorizantes e inseticidas. As regiões mais afetadas são mãos, dedos e face.

Os principais sintomas e sinais são:

  • Manchas avermelhadas (eritema).
  • Inchaço (edema).
  • Secreção na pele.
  • Pele ressequida.
  • Formação de crosta.
  • Dor.

 

Tratamento da Alergia

Em geral, todas as crianças com sintomas alérgicos, persistentes, reincidentes ou graves, ou outros indivíduos com necessidade de tratamento contínuo, devem realizar análises ao sangue, que permitam confirmar a presença de alergia e identificar o antígeno.

O diagnóstico de alergia é um diagnóstico eminentemente clínico, que pode ser auxiliado pelos testes cutâneo-alérgicos e por exames laboratoriais.

Os testes cutâneo-alérgicos são suficientes para confirmar o diagnóstico. Contudo, há análises ao sangue que podem ser realizadas para confirmar o diagnóstico. Um diagnóstico correto, ajudará a reduzir a incidência de sintomas e uma medicação adequada permitirá melhorar a qualidade de vida.

A alergia muda de forma dinâmica ao longo do tempo, e os doentes podem superar ou adquirir novas alergias. O rastreio regular dos alérgenos relevantes é o melhor método para controlar os quadros alérgicos.

O tratamento das reações alérgicas deve ser direcionado aos sintomas. A primeira atitude a tomar é a de afastar a pessoa do alérgeno e, em alguns casos, proceder à indução de tolerância oral em Alergia Alimentar ou Imunoterapia Específica em Alergias Respiratórias e Alergia aos Insetos Himenópteros.

O tratamento sintomático é feito com anti-histamínicos e corticóides por via endovenosa ou intramuscular. Nos casos de alergias respiratórias pode ser necessário nebulização com beta-adrenérgicos.

O tratamento curativo é feito através da Imunoterapia Específica ou Dessensibilização. A Dessensibilização é uma forma de imunoterapia onde o paciente recebe doses inicialmente mínimas que gradualmente vão aumentando, com doses progressivas do produto alergénico em questão ou do alérgeno modificado.

 

Artigo revisto e validado pelo especialista em Medicina Geral e Familiar José Ramos Osório.

 

Conteúdo revisto pelo Conselho Científico da AdvanceCare.
A presente informação não vincula a AdvanceCare a nenhum caso concreto e não dispensa a leitura dos contratos de seguros/planos de saúde, nem a consulta de um médico e/ou especialista.
Precisa de ajuda? Nós
ligamos
grátis!