Quando uma gravidez se desenvolve fora do útero, diz-se que é uma gravidez ectópica. No processo normal de ovulação, o óvulo fecundado na trompa de Falópio segue em direção ao útero, onde se implanta e se desenvolve. Quando, por qualquer motivo, existe um bloqueio que não permite a passagem desse óvulo para as paredes uterinas pode ocorrer uma gravidez ectópica. Na maioria destes casos, a ectopia ocorre no interior da trompa de Falópio. São muito raras, mas pode acontecer gravidez ectópica no canal cervical, na cavidade pélvica ou abdominal.

 

Causas de Gravidez Ectópica

Os motivos de uma gravidez ectópica ainda não estão completamente esclarecidos. Na sua origem podem estar lesões ou cicatrizes nas trompas de Falópio, que bloqueiam a passagem do óvulo fecundado para o útero. Apesar de poder acontecer em qualquer mulher em idade fértil – a prevalência é de uma em cem mulheres -, existem algumas situações que propiciam esta condição:

Fatores de risco

Gravidez Ectópica

Embrião humano de uma gravidez ectópica. No canto superior esquerdo, o embrião implantou-se numa trompa de Falópio (a rosa).

  • Problemas hormonais.
  • Anomalia congénita da trompa de Falópio.
  • Tumores.
  • Uso de dispositivo anticoncecional intrauterino (DIU).
  • História de doença inflamatória pélvica (DIP).
  • História da cirurgia pélvica. As cicatrizes podem bloquear o óvulo fertilizado, impedindo-o de sair da trompa de Falópio.
  • Antecedentes de gravidez ectópica.
  • Endometriose.
  • Laqueação das trompas mal sucedida (esterilização cirúrgica).
  • Toma de medicamentos para a fertilidade.
  • Doenças sexualmente transmissíveis, como clamídia e gonorreia.
  • Tabagismo.
  • Idade superior a 35 anos.

 
 
 
 
 
 

Sintomas e Sinais de Gravidez Ectópica

Inicialmente, os sintomas são semelhantes a uma gravidez normal, com ausência de períodos menstruais, tensão mamária, náuseas e vómitos. A gestação é igualmente confirmada por teste da gravidez. Seis a oito semanas após a última menstruação começam a surgir os principais sinais de ectopia:

  • Perdas de sangue vaginais incomuns.
  • Náuseas e vómitos com dor.
  • Tonturas e fraqueza.
  • Dor abdominal ou pélvica, que piora com esforço físico.
  • Relações sexuais dolorosas.
  • Dor localizada lateralmente, com tendência a piorar.

Em caso de rutura na trompa de Falópio e hemorragia interna, pode ainda verificar-se:

  • Dor súbita e forte que se vai espalhando pelo abdómen.
  • Diarreia ou sangue nas fezes.
  • Desmaio ou choque.
  • Dor no ombro e pescoço é sinal de que a hemorragia poderá estar a afetar outros órgãos do corpo, como o diafragma.

 

Tratamento de Gravidez Ectópica

O tratamento a seguir dependerá da localização e do tempo da gravidez.

– A realização de análises é imprescindível para confirmar a gravidez através da presença da hormona gonadotrofina coriónica (beta HCG) no sangue.

– A ecografia pélvica servirá para detetar a obstrução nas trompas, ou a presença de hemorragia interna.

– A lasparoscopia poderá ser necessária para identificar a localização do feto.

– Após o diagnóstico, é urgente proceder à interrupção imediata da gravidez por meio de medicação se estiver numa fase inicial, ou cirurgicamente numa fase mais avançada quando houver rotura e hemorragia tubária.

– Em 65 % dos casos, a cirurgia laparoscópica consegue preservar a trompa e a mulher pode voltar a engravidar três a quatro meses após interrupção da gravidez.

 

Artigo revisto e validado pela especialista em Medicina Geral e Familiar Isabel Braizinha.

 

Conteúdo revisto pelo Conselho Científico da AdvanceCare.
A presente informação não vincula a AdvanceCare a nenhum caso concreto e não dispensa a leitura dos contratos de seguros/planos de saúde, nem a consulta de um médico e/ou especialista.
Precisa de ajuda? Nós
ligamos
grátis!