O que é o lúpus

O lúpus é uma doença inflamatória autoimune o que significa que o sistema imunitário reage contra o próprio organismo como se este fosse inimigo. É uma doença crónica, sem cura e que se manifesta de forma intermitente. Contudo, os episódios inflamatórios mais comuns manifestam-se a nível articular, muscular e cutâneo.

Existem 4 tipos de lúpus:

Lúpus eritematoso cutâneo – Também designado por lúpus discóide manifesta-se a nível cutâneo, com erupções no rosto, pescoço e cotovelos. Pode também provocar alterações na pigmentação, cor da pele e perda de cabelo. Um dos sinais característicos são as lesões eritematosas (vermelhidão) que têm uma forma semelhante às asas de uma borboleta e que surgem na zona do nariz e maçãs do rosto.

Lúpus eritematoso sistémico – Pode afetar qualquer parte do corpo – sistema nervoso, sangue, pleura (pulmão) ou pericárdio (coração) – daí a designação de patologia sistémica.

Lúpus induzido por drogas – Reúne as manifestações características da doença, mas é provocado pela toma de medicamentos (como alguns fármacos para tratar a hipertensão, arritmias). Os sintomas cessam com a interrupção da toma.

Existem ainda casos raros de Lúpus neonatal, que podem ocorrer em bebés de mulheres com lúpus. O recém-nascido apresenta alguns sintomas cutâneos, por exemplo, que acabam por desaparecer após alguns meses.

Lúpus

Doente com vermelhidão em forma de borboleta à volta do nariz, característica do Lúpus.

 

Causas

É uma doença rara que pode afetar qualquer pessoa, sendo mais comum no sexo feminino (9 em cada 10 casos são mulheres). Apesar da carga genética que predispõe para a patologia não é possível prever o seu aparecimento. As primeiras manifestações surgem, regra geral, entre os 15 e os 44 anos. Desconhecem-se os fatores que desencadeiam os episódios de lúpus, à exceção da exposição solar que parece interferir com as manifestações cutâneas da patologia.

 

Sintomas

O tipo, intensidade e gravidade de sintomas é muito variável e pode ser, por vezes, confundido com outras patologias como, por exemplo, a artrite reumatoide (quando as articulações são afetadas). Existem alguns sintomas comuns que podem indiciar uma crise de lúpus em pessoas com predisposição para esta patologia:

  • Febre alta e súbita.
  • Dor e inchaço nas articulações.
  • Erupção cutânea no rosto, pescoço, peito e cotovelos.
  • Fotossensibilidade.
  • Cefaleia.
  • Úlceras na boca ou nariz.
  • Disfunção renal.

 

Tratamento

A duração e o intervalo entre as crises de lúpus variam e podem ser de dias ou anos. O diagnóstico é obtido através de análises ao sangue para detetar a presença de anticorpos antinucleares. O tratamento depende dos sintomas registados e pode incluir a aplicação de cremes corticosteroides nas lesões cutâneas, a toma de anti-inflamatórios ou corticosteroides e o recurso a fármacos imunossupressores nos casos mais graves. Existem ainda fármacos, como a hidroxicloroquina, que permitem minimizar o risco de crises e encontram-se em estudo outros medicamentos.
 

Artigo revisto e validado pela especialista em Medicina Geral e Familiar Isabel Braizinha.
Conteúdo revisto pelo Conselho Científico da AdvanceCare.
A presente informação não vincula a AdvanceCare a nenhum caso concreto e não dispensa a leitura dos contratos de seguros/planos de saúde, nem a consulta de um médico e/ou especialista.
Precisa de ajuda? Nós
ligamos
grátis!