O que é a menopausa

A menopausa não é uma doença, mas sim uma fase da vida. Refere-se ao momento da última menstruação, após um ano de ausência do período menstrual. Acontece quando termina a atividade endócrina dos ovários, com paragem da produção de estrogénios. Passados doze meses de ausência de período menstrual, a mulher inicia o período da pós-menopausa, onde passará mais de um terço da vida.
Existem três situações a ter em atenção:

  • Menopausa precoce – um número reduzido de mulheres pode ter uma menopausa precoce, antes dos 40 anos, provocada pelas características dos ovários e, muitas vezes, por uma tendência genética. Requer acompanhamento médico.
  • Menopausa iatrogénica ou artificial – quando a menstruação cessa devido à remoção cirúrgica dos ovários, com ou sem histerectomia, ou após ablação iatrogénica da função dos ovários (quimioterapia ou radiação).
  • Menopausa tardia – surge após os 55 anos e requer vigilância médica mais apertada devido à exposição mais prolongada do organismo aos estrogénios (que aumenta o risco de cancro).

 

Causas

A menopausa pode ocorrer naturalmente entre os 45 e os 55 anos. Seguindo o padrão europeu, numa idade média de 51 anos, há uma redução progressiva da produção de estrogénios e progesterona, que levam a mudanças profundas no organismo.

menopausa

A menopausa acontece quando termina a atividade endócrina dos ovários.

 

Sintomas

  • Modificações em todos os órgãos com recetores de estrogénios: quase todo o corpo feminino, desde o cérebro ao aparelho geniturinário e peito.
  • Períodos menstruais irregulares, com intervalos de tempo cada vez mais prolongados e fluxos inconstantes.
  • Calores e afrontamentos, por vezes, acompanhados de suores.
  • Alterações no aspeto da pele, cabelo, unhas, boca e olhos.
  • Oscilações de humor, irritabilidade e tendência para a depressão.
  • Dificuldade em dormir.
  • Possíveis dores de cabeça.
  • Aumento da vontade de urinar.
  • Diminuição do desejo sexual.
  • Secura vaginal e possível dor durante o ato sexual.
  • Possíveis queixas vasomotoras.

Tratamento

A vigilância médica nesta fase da vida é importante devido ao risco acrescido de patologias como as doenças cardiovasculares ou a osteoporose. São várias as medidas que permitem combater os sintomas da menopausa e responder às alterações que esta provoca no organismo:

  • A Terapêutica Hormonal de Substituição (THS) é indicada nas pessoas que têm queixas, desde que não haja contraindicações, como o cancro da mama e do endométrio ou o risco aumentado de vir a sofrer desta doença tendo em conta a história familiar.
  • Suplementação com cálcio e/ou vitamina D.
  • Evitar o tabaco e o consumo de bebidas alcoólicas.
  • Praticar exercício físico. Procurar formas de relaxamento.
  • Ter uma vida social e familiar ativa. Evitar o isolamento.
  • Seguir uma alimentação saudável, rica em frutas e legumes, e pobre em sal, gorduras saturadas e comidas demasiado condimentadas.
    Usar vestuário à base de fibras naturais, como o algodão, o linho ou a seda, e evitar vestir peças demasiado quentes ou fibras sintéticas. Consumir alimentos ricos em ómega-3 e 6, vitaminas e fibras.
  • Evitar as piscinas interiores, saunas, grandes superfícies ou ambientes demasiado aquecidos.
  • Manter uma vida sexual ativa.
  • Hidratar-se, bebendo, no mínimo, oito copos de água por dia. Melhora a saúde da pele e o funcionamento do aparelho urinário.
  • Reforçar cuidados de higiene com a pele, usando cosméticos adequados que compensem a perda de colagénio e elastina.

 

Artigo revisto e validado pela médica Lídia Roque Ramos;
Serviço de gastrenterologia do Hospital Garcia da Orta.
Conteúdo revisto pelo Conselho Científico da AdvanceCare.
A presente informação não vincula a AdvanceCare a nenhum caso concreto e não dispensa a leitura dos contratos de seguros/planos de saúde, nem a consulta de um médico e/ou especialista.
Precisa de ajuda? Nós
ligamos
grátis!