A osteoporose é uma doença esquelética difusa caracterizada pela diminuição do conteúdo de cálcio nos ossos que, consequentemente ficam mais rarefeitos, menos sólidos e mais frágeis, aumentando o risco de fratura.

Dependendo da zona em que se manifesta pode originar fratura completa, se for a nível do punho ou do fémur, ou deformação, como se verifica no caso das vértebras, que em vez do seu aspeto retangular ou normal, começam a achatar ou a deformar-se.

Tem maior incidência no sexo feminino, sobretudo após a menopausa.

Existe um estadio intermédio – entre a normalidade óssea e a patologia – que se denomina osteopenia e é percursor da osteoporose.

Causas de Osteoporose

O osso é um tecido vivo que está em constante formação e reabsorção. Estima-se que o pico de massa óssea seja atingido aos 25 anos, altura a partir da qual este processo abranda e a reabsorção óssea é mais rápida do que a formação de novo osso. As probabilidades de vir a sofrer de osteoporose dependem, em parte, do “capital ósseo” conseguido nas primeiras duas décadas de vida, e do estilo de vida que favorece a massa óssea, ou seja, que alia a alimentação equilibrada e rica em cálcio e a prática de exercício físico.

Existem alguns fatores de risco. Os principais são:

Osteoporose

Osso com osteoporose.

  • Sexo feminino.
  • Idade superior a 65 anos.
  • Menarca (início tardio dos ciclos menstruais).
  • Menopausa precoce (< 40 anos) espontânea ou por motivos cirúrgicos.
  • História familiar de fratura da anca ou de osteoporose.
  • Índice de massa corporal (IMC) inferior a 19 kg/m2.
  • Pele clara e cabelos claros.
  • Baixa estatura.

 

 

 

Outros fatores que podem estar associados são:

  • Fratura vertebral prévia ou fratura de fragilidade depois dos 40 anos.
  • Terapêutica corticoide sistémica superior a três meses.
  • Tabagismo.
  • Alimentação pobre em cálcio.
  • Consumo excessivo de cafeína e de bebidas alcoólicas.
  • Artrite reumatoide.
  • História de hipertiroidismo clínico.
  • Hipogonadismo.
  • Hiperparatiroidismo primário.
  • Terapêutica crónica com antiepiléticos ou com heparina.
  • Distúrbios alimentares (anorexia).
  • Cirurgias gastrointestinais.
  • Imobilização prolongada.
  • Propensão para quedas.

 

Sintomas de Osteoporose

A osteoporose é uma doença assintomática que, por norma, só se manifesta quando há complicações: fraturas, deformações a nível vertebral. Os primeiros sinais de fragilização óssea são:

  • Dor nas costas, provocada por vértebras fraturadas ou em colapso.
  • Redução da estatura ao longo do tempo.
  • Ocorrência de fraturas ósseas com facilidade.
  • Dor óssea difusa.
  • Postura inclinada.

 

Diagnóstico e Tratamento de Osteoporose

O diagnóstico da osteoporose é conseguido através de densitometria óssea, exame de imagiologia que avalia o conteúdo mineral do osso segundo critérios pré-definidos. O médico pode ainda solicitar a realização de radiografias e de testes laboratoriais.

O tratamento pode dividir-se em quatro vertentes:

  • Fármacos que promovem a formação de massa óssea (bifosfonatos, entre outros).
  • Terapia hormonal para equilibrar níveis de estrogénios ou de testosterona (no caso masculino)
  • Suplementos de cálcio e vitamina D para garantir o aporte necessário destes nutrientes.
  • Analgésicos para alívio da dor.

Prevenir a ocorrência de quedas, reduzir o consumo de bebidas alcoólicas, parar de fumar e realizar uma rotina de vida mais ativa são outras medidas a adotar.

 

Artigo revisto e validado pela especialista em Medicina Geral e Familiar Isabel Braizinha.

 

Conteúdo revisto pelo Conselho Científico da AdvanceCare.
A presente informação não vincula a AdvanceCare a nenhum caso concreto e não dispensa a leitura dos contratos de seguros/planos de saúde, nem a consulta de um médico e/ou especialista.
Precisa de ajuda? Nós
ligamos
grátis!