tricotilomania

Mancha de alopécia provocada por tricotilomania.

A tricotilomania consiste na perda de cabelos devido ao impulso repetidos, de puxar ou torcer o cabelo até o partir. É um tipo de distúrbio de controlo impulsivo, que afeta cerca de 4% da população, sendo 4 vezes mais frequente nas mulheres do que nos homens. A característica básica do distúrbio da tricoltomania é o impulso, no mínimo durante alguns períodos, de puxar cabelos ou pelos, assumindo a forma de um ritual diário, que acontece de forma automática.

A tricotilomania pode ser transitória, episódica ou contínua e a sua intensidade pode variar – uma pessoa pode passar semanas ou meses sem sintomas e de repente, ter uma recaída.

 
 

A  tricotilomania existe em vários graus:

  • Pequenas falhas nos cabelos.
  • Áreas de alopécia.
  • Calvíce total.

Antes de arrancarem os cabelos, os indivíduos encontram-se sob pressão interna experimentando, posteriormente, grande alívio no acto de arancar os cabelos (apesar de se sentirem bastante lesadas pelo distúrbio).

 

Causas de Tricotilomania

O distúrbio resulta normalmente da conjugação de vários fatores distintos:

Psicológicos

  • Medos.
  • Dificuldade de expressão de emoções.
  • Estados depressivos.

Sociais.

Neurobiológicos.

Genéticos (o transtorno surge com mais frequência em indivíduos com familiares com o mesmo distúrbio. O quadro pode não pode ser atribuído apenas à herança genética; sendo igualmente explicado como comportamento aprendido).

A tricotilomania agrava-se com:

  • Emoções negativas, como stress, ira ou tristeza.
  • Atividades sedentárias.
  • Leitura, telefonemas, trânsito, televisão.
  • Quando as pessoas estão sozinhas, cansadas ou tentando adormecer.

 

Sintomas de Tricotilomania

Os sintomas tem início na infância ou na adolescência e consistem em:

  • Arrancar compulsivamente os fios de cabelo.

Algumas pessoas afetadas selecionam os fios objetivamente (cabelos brancos, os que ficam em pé ou os que se encontram despenteados).

Outras arrancam-nos de forma inconsciente e automática, apenas percebendo o gesto mais tarde.

  • Arrancar cabelos em pontos arredondados ou em todo o couro cabeludo, concedendo-lhe uma aparência irregular.
  • Arrancar sobrancelhas, cílios ou pelos corporais.
  • “Brincar” com os cabelos arrancados, passando-os sobre os lábios, colocando-os na boca ou enlaçando-os entre os dedos
  • Alguns pacientes engolem os próprios cabelos arrancados, o que pode causar a formação de um novelo de cabelos (tricobezoar) no estômago ou no intestino, pondendo, como consequência, fazer surgir cólicas ou, mais raramente, obstrução intestinal.

 

Diagnóstico e Tratamento de Tricotilomania

O diagnóstico da tricotilomania é feito através da descrição do comportamento.

O tratamento realiza-se através de:

  • Terapia comportamental cognitiva, que visa eliminar comportamentos estabelecidos e adquirir comportamentos novos.
  • Toma de antidepresivos.

 

Artigo revisto e validado pelo especialista em Medicina Geral e Familiar José Ramos Osório.

 

Conteúdo revisto pelo Conselho Científico da AdvanceCare.
A presente informação não vincula a AdvanceCare a nenhum caso concreto e não dispensa a leitura dos contratos de seguros/planos de saúde, nem a consulta de um médico e/ou especialista.
Precisa de ajuda? Nós
ligamos
grátis!