AdvanceCare | Hidratacao total

Hidratacao total

A água é o principal componente do nosso corpo e do nosso planeta e, apesar disso, é frequentemente esquecido na rotina diária. Nos meses quentes, a água assume uma relevância ainda maior e a hidratação torna-se um gesto incontornável.

É a água que garante o bom funcionamento de órgãos como o cérebro ou os rins, a saúde das células, facilita o transporte de nutrientes e as reações químicas no organismo, ajuda a manter a temperatura corporal adequada, previne o envelhecimento e as agressões cutâneas, combate a celulite e até contribui para o brilho e vitalidade capilar. Seja através da ingestão de líquidos ou pela aplicação de cosméticos hidratantes, este é o elemento central da sua saúde e beleza no verão. Aprenda a garantir uma hidratação perfeita.

Onde está a água?

Beber cerca de 8 copos de água por dia ou ingerir entre 1,5l a 2l por dia é a quantidade de referência aconselhada para um adulto, recomenda a Associação Portuguesa de Nutricionistas (APN). Na infância, os valores são 1l (até aos 3 anos), passando para 1,2 l a partir dessa idade e até aos 8 anos, altura em que a referência se situa em 1,4l para o sexo feminino e 1,6l para o masculino, indica a mesma associação. Embora possam ser consideradas refrescantes, as bebidas alcoólicas e gaseificadas não são uma boa opção, dado o seu poder diurético. A água é a melhor forma de hidratar o organismo, mas pode também ser consumida em infusões frias sem açúcar, aromatizada com ervas ou rodelas de limão e gelo, alternativas saudáveis e sem aporte de calorias. Para além do copo, é possível consumi-la pelos alimentos. A sopa, o leite (simples), os sumos naturais (sem adição de açúcar) e a fruta são ricos em água. Bons exemplos para os dias quentes são: gaspacho, tomate, pepino, alface, rabanete, ananás, melancia, melão, maçã, entre outros.

Perigo: desidratação

Esperar pela sensação de sede é um dos erros mais comuns, uma vez que esta reação do organismo revela já início de desidratação. As crianças e os idosos são os principais grupos de risco, porque não têm uma sensibilidade tão grande à sede. Ou seja, nas crianças o mecanismo natural pode ainda não estar desenvolvido e nos mais velhos pode não estar a funcionar como é devido. Dar regularmente água às crianças é essencial. No caso dos idosos é frequente afirmarem que não têm sede e passarem bastante tempo sem beber água. Assim, criar rituais para incutir o hábito de beber água e propor alternativas com sabor, como as infusões frias, são medidas que ajudam a prevenir a desidratação.

Dor de cabeça, letargia, falta de concentração, prisão de ventre ou urina muito concentrada são alguns dos indícios de que o aporte de água não é suficiente para o organismo.

Hidratar é proteger

A hidratação do organismo é essencial mas deverá, igualmente, não se esquecer da pele. Esta é um escudo protetor por excelência. Apesar de dispor de mecanismos naturais que ajudam a cumprir a sua função, requer cuidados diários para que seja a barreira perfeita. Manter o nível hídrico cutâneo é fundamental e, para isso, não basta aplicar um creme quando ela aparenta secura. É necessário, antes de mais, usar produtos com ph neutro para a lavagem (sabonete ou gel duche) e aplicar diariamente um bom hidratante. As zonas expostas – rosto e decote – requerem cuidados redobrados através de emolientes específicos e adequados ao tipo de pele. As mãos e os pés, outros alvos de agressões constantes, podem beneficiar da aplicação regular de um protetor solar (para minimizar danos e envelhecimento cutâneo) durante o dia e de um hidratante à noite. No verão, as altas temperaturas e a exposição a agentes agressores como o sol, o cloro e o sal do mar justificam a utilização de produtos específicos, como o hidratante complementado com o protetor solar e o after sun, ao final do dia. Usar um creme de noite nutritivo no rosto e decote contribui igualmente para regenerar a pele durante a noite.

Pele em risco: sinais de alarme

Uma pele hidratada é luminosa, elástica e mais resistente às agressões externas. Quando a desidratação se instala, não é só o seu aspeto que perde beleza e vigor, também o risco de problemas é mais elevado. Assim para além de ficar mais baça ou envelhecida, a pele fica vulnerável a infeções (bacterianas, fúngicas) e propensa a desenvolver reações adversas como a dermatite ou eczema. Por vezes, a irritação cutânea pode provocar prurido ou uma aparência de pele queimada. A aplicação de um creme hidratante ajuda a prevenir e minimizar este tipo de sintomas, caso persistam recomenda-se procurar ajuda médica, para identificar as eventuais causas e definir um tratamento específico.

A hidratação é um dos pilares da saúde e beleza. É essencial beber água nos meses quentes, tomar precauções que ajudam a prevenir e combater a desidratação e não se esquecer de hidratar a pele.

Conteúdo revisto pelo Conselho Científico da AdvanceCare.
A presente informação não vincula a AdvanceCare a nenhum caso concreto e não dispensa a leitura dos contratos de seguros/planos de saúde, nem a consulta de um médico e/ou especialista.