Seguro de saúde, Plano de Saúde, Cartão de Saúde, Cartão de Medicina Dentária, Cartão Dentário, Plano Saúde Oral

AdvanceCare | Tempo frio, refeições quentes

Tempo frio, refeições quentes

Com o fim do verão, tem início o tempo frio, que pede refeições quentes e mais consistentes. Com a ajuda do nutricionista Alexandre Fernandes, damos-lhe a conhecer os alimentos que lhe fornecem mais energia neste inverno.

Em função da temperatura do inverno,o nosso organismo gasta mais energia para manter a temperatura corporal. “Para compensar este gasto é comum aumentarmos a ingestão de alimentos, principalmente os mais calóricos como o chocolate e outros doces, as gorduras e até mesmo o consumo de bebidas alcoólicas”, explica Alexandre Fernandes.

A ingestão indiscriminada destes alimentos pode levar ao aumento de peso e não é isso que se pretende. O aumento do apetite é natural nos dias mais frios, mas não se deixe cair em tentação e coma com moderação. Nada de exageros! Em primeiro lugar, “deve manter o corpo hidratado. É comum as pessoas reduzirem o consumo de líquidos nesta estação do ano, o que não é recomendável. Havendo uma maior necessidade de produção de calor, o corpo também necessita de água – no mínimo 1,5 a 2 litros, dependendo de pessoa para pessoa”, acrescenta o nutricionista.
As sopas devem fazer parte das suas refeições diárias. “Deve optar pelas mais nutritivas e menos calóricas, como as de legumes.” Em simultâneo, as frutas e saladas são essenciais no inverno, embora à primeira vista pareçam estar tipicamente associadas ao verão.

O chocolate quente é muito apreciado nesta época “mas pode ser substituído por um chá com adoçante, que aquece o nosso organismo da mesma forma. Mas, quem teima em beber um copo de chocolate quente, deve prepará-lo com leite desnatado e com chocolate em pó ou cacau diet”, esclarece Alexandre Fernandes.

Se é adepto de deliciosos fondues, dê preferência aos de carnes magras ou de queijo (preparados com leite desnatado e queijo magro), mas sem molhos. “Para acompanhar, opte por vegetais como, alface, agrião, chicória, alcega, tomate e cenoura e legumes cozidos como, por exemplo, couve-flor, brócolos, couve-de-bruxelas e esparregado.” Convide também as frutas frescas para este verdadeiro banquete como, a maçã, a pera, o kiwi e outras frutas da época, em vez de optar pelas apelativas batatas fritas,pelo pão ou pelo arroz…

“Embora o corpo tente preservar as reservas de gordura – porque atua como um isolante térmico – as reservas de glicogénio (armazenamento de hidratos de carbono) esgotam-se mais rapidamente e a necessidade de comer mais é constante”, esclarece Alexandre Fernandes.

Se tiver dúvidas no que respeita ao seu plano alimentar diário, não hesite em consultar um nutricionista.

Mudar aos poucos

Se a ideia de mudar o regime alimentar é para si um pesadelo, saiba que é normal e lembre-se que qualquer mudança – sobretudo quando é radical – pode e deve ser feita gradualmente. À medida que for ganhando novos e melhores hábitos verá que vale a pena. O importante é…começar!
Se à sua volta há mil vozes “peritas” a dar conselhos sobre alimentação, use isso a seu favor: reflita, perceba o que mais lhe convém e crie o seu próprio estilo.

Conteúdo revisto pelo Conselho Científico da AdvanceCare.
A presente informação não vincula a AdvanceCare a nenhum caso concreto e não dispensa a leitura dos contratos de seguros/planos de saúde, nem a consulta de um médico e/ou especialista.