AdvanceCare | Faringite

Faringite

Conhecida vulgarmente como dor de garganta, é uma inflamação ou infeção da faringe, a zona que se situa entre a laringe e as amígdalas, provocada pela ação nefasta de algum vírus, bactérias e, mais raramente, fungos. Muitas vezes, é o primeiro sinal ou consequência de uma constipação ou gripe.

A zona afetada pode envolver o terço posterior da língua, o palato mole (céu da boca) e as amígdalas.
A faringite pode dividir-se em três tipos:

  1. Faringite viral: Provocada por vírus, entre os mais comuns estão o influenza, oparainfluenza, o adenovírus, o rinovírus, o herpes simplex oral e o coronavírus.
  2. Faringite bacteriana: De origem infeciosa, o agente patológico mais frequente é a bactéria estreptococos beta-hemolítico, causadora da faringite estreptocócica. Outras bactérias podem igualmente agredir a faringe como os pneumococos, mycoplasma pneumoniae, staphylococcus aureus ou, entre outros, o haemophilus influenzae.
  3. Fúngica: Muito mais rara, é causada por fungos microscópicos, como o candida albicans, que afeta a faringe em caso de imunidade reduzida.

E dois subtipos:

  1. Aguda: O processo inflamatório dura apenas alguns dias.
  2. Crónica: Consequência de complicações virais ou bacterianas, prolonga-se por semanas ou meses ou pode ter episódios recorrentes.
faringite

Inflamação das amígdalas e faringe, características da faringite.

Causas da Faringite

Em situações de faringite viral ou bacteriana:

  • A infeção transmite-se de pessoa para pessoa por contacto com as gotículas das secreções de um indivíduo contaminado através da tosse, espirros ou por tocar em objetos.
  • A predominância é maior nos meses de inverno, mais frios e húmidos.
  • O grupo mais vulnerável à patologia, inclui: fumadores, pessoas em situação de cansaço e com o sistema imunitário comprometido.

No caso da faringite fúngica, o contágio pode ocorrer através de doenças sexualmente transmissíveis, como a gonorreia.

Sintomas da Faringite

  • Desconforto e dor na garganta.
  • Membrana mucosa que reveste a faringe inflamada e coberta por machas brancas ou purulentas.
  • Dificuldade em falar e engolir.
  • Febre.
  • Inflamação dos gânglios linfáticos do pescoço.
  • Presença elevada de glóbulos brancos no sangue.

A faringite bacteriana pode acrescentar outros sintomas, como:

  • Dor de cabeça.
  • Dor de ouvidos.
  • Dores musculares e das articulações.
  • Vómitos e perda de apetite.
  • Febre alta.

Tratamento da Faringite

A medicação varia em função do tipo de faringite. Em caso de dúvida sobre a sua origem, o clínico recomenda que se aguarde três a quatro dias para ver se os sintomas desaparecem.

Quando a sintomatologia persiste, o mais certo é tratar-se de uma faringite bacteriana, mais grave e prolongada. Através do exame laboratorial zaragatoa identifica-se a bactéria responsável pela faringite. O tratamento difere consoante o tipo de patologia:

  • No caso da faringite viral, o mal-estar tende a desaparecer a partir do quarto dia e pode ser atenuado através de anti-inflamatórios e analgésicos. Recomenda-se ainda repouso e abundante ingestão de líquidos para manter a hidratação.
  • Para tratar uma faringite bacteriana, poderão ser prescritos antibióticos sensíveis para as bactérias que a originam, a tomar durante sete a dez dias, associados também aos anti-inflamatórios e analgésicos. Recomenda-se ainda repouso e abundante ingestão de líquidos para manter a hidratação.
  • A faringite fúngica é curável através de fármacos (antifúngicos) para eliminar o fungo.
Artigo revisto e validado pelo especialista em Medicina Geral e Familiar José Ramos Osório.
Conteúdo revisto pelo Conselho Científico da AdvanceCare.
A presente informação não vincula a AdvanceCare a nenhum caso concreto e não dispensa a leitura dos contratos de seguros/planos de saúde, nem a consulta de um médico e/ou especialista.