AdvanceCare | Glicémia

Glicémia

glicémia

Glicose no sangue juntamente com os glóbulos vermelhos

A glicemia designa a concentração de glicose (molécula de açúcar) no sangue ou mais precisamente no plasma.

Durante a digestão, o organismo absorve nutrientes de tudo o que é ingerido, convertendo as moléculas ingeridas em moléculas de açucar. A glicose (a nossa principal fonte de energia) é uma dessas moléculas.

A insulina é uma hormona produzida pelo pâncreas que contribui para que as células absorvam a glicose que circula no sangue, mantendo, assim, os níveis normais de açúcar no sangue.

 

 

Os valores da glicémia são medidos através de:

  • Exame de sangue onde são verificadas as taxas de glicose no sangue
  • Teste padronizado de tolerância à glicose oral (TTGO).

Índices de glicose:

  • Normal: entre 90 a 110 mg/dL.
  • Intolerância à glicose: jejum de 111 a 125 mg/dL; 2 horas após 75g de glicose: de 141 a 199 mg/dL.
  • Diabetes mellitus: jejum maior que 126 mg/dL; 2 horas após 75g de glicose: maior que 200 mg/dL.

Apresentar valores da glicémia fora do padrão normal – tanto para cima (hiperglicémia) como para baixo (hipoglicémia), acarreta graves consequências para a saúde.

As pessoas sem diabetes apresentam, normalmente, uma glicemia entre 80 e 110 mg/dl antes das refeições e entre 110 e 140 mg/dl depois das refeições.

 

Hiperglicémia

É o excesso de açúcar no sangue (uma das carcaterísticas da diabetes).

Causas de Hiperglicémia

Insuficiência de produção de insulina (hormona endócrina que permite a sintetização da glicose e  que favorece a utilização dos hidratos de carbono (glúcidos) pelo organismo.

Insuficiência da ação da insulina no organismo.

Sintomas e Sinais de Hiperglicémia

  • Boca seca.
  • Polidipsia (Sede).
  • Urina frequente e abundante.
  • Fome.
  • Cansaço.
  • Dor de cabeça.
  • Enjoo.
  • Sonolência.
  • Dificuldade respiratória.
  • Hálito cetónico.

Diagnóstico e Tratamento da Hiperglicémia

A hiperglicémia diagnostica-se através de análise ao sangue. Na maioria das vezes, o indivíduo apenas apresenta sintomas de hiperglicémia, alguns dias depois dos indícies do açucar no sangue se encontrarem elevados.

Em casos de hiperglicémia ocasional (por ingestão excessiva de hidratos de carbono nas refeições anteriores, stress ou alterações na ação de medicação tomada), um plano alimentar saudável e ajustado às necessidades de cada um e a prática de atividade física, podem ser suficiente para resolver o problema.

Quando necessario recorre-se a medicação adequada.

Em qualquer situação de hiperglicémia deve aumentar-se a ingestão de água.

O diagnóstico da diabetes implica a administração de insulina ou anti-diabéticos orais.

 

Hipoglicémia

É a situação que se caracteriza por baixos níveis de açucar no sangue.

Uma vez que o cérebro necessita de glicose para funcionar corretamente, uma hipoglicémia grave pode levar à perda de consciência, podendo mesmo ser fatal.

A hipoglicémia pode ser:

  • De jejum (antes das refeições).
  • Pós-prandial ou reativa (depois das refeições) – ocorre entre três a cinco horas após a refeição devido a um desiquilíbrio entre os níveis de açúcar e os níveis de insulina que se encontram em circulação no organismo.

Causas de Hipoglicémia

Hipoglicémia de Jejum:

  • Diabetes – efeito colateral da administração de insulina utilizada no tratamento da diabetes, devido a insuficiente ingestão de alimento ou prática intensa de exercício.
  • Consumo de medicamentos específicos (como os que contêm quinino).
  • Doenças crónicas (problemas no pâncreas, rins, hepatite).
  • Excesso de consumo de álcool.
  • Deficiências endócrinas.
  • Tumores.

Hipoglicémia pós-pandrial ou reativa:

  • Pode constituir um efeito colateral das cirurgias bariátricas (de redução do estômago).
  • Outras causas.

Sintomas de Hipoglicémia

  • Confusão mental.
  • Comportamento anormal
  • Dificuldade em cumprir tarefas quotidianas e atividades simples.
  • Palpitações.
  • Tremores.
  • Suores frios.
  • Fome
  • Sensação de formigueiro em redor da boca.

Diagnóstico e Tratamento de Hipoglicémia

O diagnóstico é realizado mediante a observação do aparecimento dos sintomas e análise de sangue.

O tratamento inicial consiste na ingestão imediata de açucar (pela ingestão de alimentos doces) ou na administração de injeções de glucagon (em casos mais severos) ou de glicose intravenosa.

O tratamento posterior passa por indentificar a causa da hipoglicémia para tentar ultrapassá-la.

Alguns hábitos podem ser seguidos de forma a reduzir ou ultrapassar os episódios de hipoglicémia:

  • Comer antes de dormir.
  • Fazer todas as refeições.
  • Ingestão criteriosa de hidratos de carbono no caso dos pacientes dependentes de insulina.
  • Evitar a ingestão de bebidas alcóolicas.

 

Artigo revisto e validado pelo especialista em Medicina Geral e Familiar José Ramos Osório.

 

Conteúdo revisto pelo Conselho Científico da AdvanceCare.
A presente informação não vincula a AdvanceCare a nenhum caso concreto e não dispensa a leitura dos contratos de seguros/planos de saúde, nem a consulta de um médico e/ou especialista.