AdvanceCare | Obstipação

Obstipação

Considera-se obstipação uma situação em que há uma dificuldade persistente de evacuar, em que a defecação obriga a um grande esforço ou em que é necessário recorrer a manobras digitais para ajudar a saída das fezes. As situações em que há duas ou menos evacuações por semana (ou caso tenha havido uma redução recente do número de defecações habitual), são igualmente consideradas obstipação.
Na obstipação, as fezes são duras e fragmentadas, podendo haver uma sensação persistente de desconforto e mal-estar abdominal, verificando-se uma frequente necessidade de se recorrer a medicamentos ou enemas (clísteres) para ajudar a defecação.
 

Causas da Obstipação

As fezes são constituídas pela parte dos alimentos não assimilada, composta sobretudo por fibra, que tem a capacidade de absorver a água que existe no organismo, tornando-as mais volumosas e mais moles, o que facilita a sua expulsão.
O tempo que as fezes permanecem no intestino é determinante para o índice de água que as compõem (mais tempo implica menor teor de água), o que é determinante para a questão da obstipação.

A maioria dos casos de obstipação deve-se ao funcionamento lento do intestino ou a uma dificuldade inexplicada que o intestino apresenta em desencadear a saída das fezes, pelo que estas se acumulam na zona terminal do intestino. 
O aparecimento da obstipação pode dever-se a situações como:

obstipação

Quatro situações que demonstram causas da obstipação, condição em que é difícil evacuar as fezes.

  • Doenças neurológicas: Esclerose Múltipla, Doença de Parkinson, Lesões da Medula.
  • Doenças metabólicas: Diabetes, Hipotiroidismo, Insuficiência Renal.
  • Doenças do intestino ou ânus, como inflamação, estenose (aperto) no intestino, tumores, fissura anal.
  • Uso de medicamentos.
  • Maus hábitos alimentares (ingestão reduzida de legumes, frutas e fibras e/ou ingestão excessiva de alimentos que endurecem as fezes como o queijo e o chocolate, por exemplo).
  • Sedentarismo.
  • Abuso de laxantes.
  • Mudanças de ambientes (viagens, por exemplo).
  • Administração prolongada de alguns medicamentos.
  • Obstrução causada por tumores ou hemorróidas.
  • Depressão.
  • Ansiedade.
  • Stress.

 

Sintomas da Obstipação

  • Menos de 3 episódios de evacuação por semana.
  • Sensação de plenitude gástrica.
  • Dor e inchaço abdominal.
  • Náuseas e vómitos.

 

Tratamento da Obstipação

Uma análise detalhada das queixas e um exame ano-rectal constituem medidas de diagnóstico importantes. Podem ser necessárias análises ao sangue, colonoscopia, clíster opaco ou, em casos mais raros, medições do tempo do trânsito cólico, defecografia ou manometria ano-rectal.

Seguir uma dieta equilibrada, ingerindo alimentos com fibras e assegurando uma ingestão suficiente de líquidos. A prática de exercício físico de forma regular pode ser uma grande mais-valia. A introdução destas medidas é imperativa mas é necessário ter em atenção que os seus efeitos podem não ser imediatos.

 

Artigo revisto e validado pelo especialista em Medicina Geral e Familiar José Ramos Osório.
Conteúdo revisto pelo Conselho Científico da AdvanceCare.
A presente informação não vincula a AdvanceCare a nenhum caso concreto e não dispensa a leitura dos contratos de seguros/planos de saúde, nem a consulta de um médico e/ou especialista.