AdvanceCare | Tendinite

Tendinite

O que é a tendinite

A tendinite é a inflamação, lesão, inchaço ou degeneração de um tendão – uma estrutura fibrosa que une o músculo aos ossos. Alguns tendões estão cobertos por uma bainha protetora (cordas fibrosas de tecido resistente que ligam os músculos aos ossos), que inflama.

 

Causas

Gestos repetitivos (como tocar um instrumento musical muitas horas seguidas, escrever ao computador) acabam por desgastar um tendão, provocando a inflamação. Uma vez que com o desgaste, os tendões se tornam mais propensos às lesões, a maior parte das tendinites surgem em pessoas de meia-idade ou idade avançada. Jovens desportistas que praticam exercício de forma intensiva são igualmente suscetíveis ao desenvolvimento de tendinites.

Certos tendões, especialmente os da mão, são particularmente propensos a inflamar. As doenças articulares, como é o caso da artrite reumatoide, a esclerodermia, a gota e a síndroma de Reiter, também podem afetar as bainhas tendinosas. Nos adultos jovens que contraem gonorreia, especialmente em mulheres, a bactéria (gonococo) pode causar tenosinovite, afetando habitualmente os tendões dos ombros, pulsos, dedos, ancas, tornozelos e pés.

 

Sintomas

Os tendões inflamados causam dor ao movimento ou quando se tocam – (mover as articulações próximas do tendão, ainda que seja ligeiramente, pode causar uma dor intensa). As bainhas dos tendões podem inchar, devido à acumulação de líquido e presença de inflamação, ou podem secar, roçando contra os tendões, provocando uma sensação áspera que se pode sentir, ou um som audível durante a auscultação, quando a articulação se move.

Em geral, os sintomas da tendinite são:

  • Dor localizada no tendão afetado, que piora com o movimento.
  • Dificuldade em realizar movimentos com o membro afetado.
  • Diminuição da força no membro afetado.
  • Leve vermelhidão e inchaço local.
  • Diminuição da flexibilidade no membro afetado.

Tendinite no ombro

  • Dor num ponto específico do ombro, à sua volta ou muito próximo dele.
  • Dificuldade em realizar algum tipo de movimento com o ombro.
  • Fraqueza dos músculos do braço (que se manifesta pela dificuldade em levantar objetos).
  • Dor tipo picada.
  • Dor que irradia para o braço e omoplata.

Tendinite na mão

  • Dor localizada nos tendões da mão, seja no punho, palma da mão ou dedos.
  • Picadas no local da mão afetada.
  • Diminuição da força, com dificuldade em pegar em objetos.
  • Dor na mão ou no punho, quando se fazem determinados gestos (como rodar uma chave).
  • Pode haver ligeira vermelhidão, aquecimento e inchaço local.

A inflamação do tendão que permite esticar o polegar para fora denomina-se ‘Doença de Quervain’.

Tendinite no braço

  • Dor tipo pontada no braço afetado.
  • Dificuldade em pegar em objetos mais pesados com o braço afetado.
  • Diminuição da força muscular.
  • Diminuição da amplitude de movimentos com o braço.
  • Pode haver vermelhidão, inchaço e aquecimento localizadamente.

Estes sintomas manifestam-se, geralmente, no membro que é mais utilizado no dia a dia, ou no que sofreu alguma lesão anterior.

 

Tendinite de Aquiles, o inflamação do tendão de Aquiles junto ao calcanhar.

Tendinite de Aquiles, o inflamação do tendão de Aquiles junto ao calcanhar.

 

Tendinite no Pé (Tendão de Aquiles)

  • Rigidez em torno do Tendão de Aquiles.
  • Inchaço em torno da área.
  • Sintomatologia mais severa pela manhã.
  • A dor tende a piorar no início e após o exercício.
  • Dor abrupta, com dificuldade na marcha pode ser um sintoma de rutura do tendão (é imperativo consultar um médico com urgência).

 

 

 

 

 

 

Tratamento

Quando tratada atempadamente a tendinite poderá ter cura. O tempo de tratamento varia de acordo com a gravidade da lesão do tendão. Quanto mais rápido for iniciado o tratamento, mais rápida será a cura.

  • Para que o tratamento seja eficaz é necessário evitar ou, caso possível, parar a atividade que deu origem à lesão.
  • O tratamento para a tendinite faz-se à base de anti-inflamatórios, aplicação de gelo ou compressas quentes (mediante o que for mais adequado à circunstância) e fisioterapia.
  • A aplicação de quente ou frio na zona afetada produz, normalmente, bons resultados.
  • Por vezes são injetados corticosteroides e anestésicos locais na bainha do tendão (infiltrações).
  • O tratamento deve ser repetido periodicamente (semanalmente ou com a periodicidade adequada à situação concreta), até que a inflamação desapareça.
  • Em alguns casos são recomendados exercícios terapêuticos (fisioterapia).
  • Se o tendão não recuperar em absoluto pode produzir-se uma lesão crónica (tendinose), com um maior compromisso do tendão, podendo mesmo levar à sua rutura.
  • Uma tendinite crónica e persistente pode requerer intervenção cirúrgica, sendo a fisioterapia necessária nestes casos. A cirugia encontra-se frequentemente indicada para tratar o dedo em gatilho crónico ou para extrair as acumulações de cálcio das zonas de uma tendinite de longa duração, como a zona que circunda a articulação do ombro.

Para prevenir a tendinite recomenda-se evitar esforços repetitivos diariamente. Se estes forem necessários para a atividade laboral, recomenda-se fazer alongamentos antes e depois de iniciar a atividade profissional, beber bastante água e fortalecer o grupo muscular envolvido através da prática de exercícios físicos (como a natação).

Quando os músculos e os tendões estão devidamente hidratados e fortalecidos, a hipótese de desenvolver uma tendinite é muito menor.

Artigo revisto e validado pela especialista em Medicina Geral e Familiar Isabel Braizinha.
Conteúdo revisto pelo Conselho Científico da AdvanceCare.
A presente informação não vincula a AdvanceCare a nenhum caso concreto e não dispensa a leitura dos contratos de seguros/planos de saúde, nem a consulta de um médico e/ou especialista.